sensação



num poema
abrem-se em mim
todas as ânsias
como se fossem asas
batendo alucinadamente
dentro do meu peito



16 comentários:

Igor Machado disse...

Se deixa voar, tanto, e assim!

mas quem sou eu para dizer, para você, que sopra nuvens... Já sabe que tuas asas lhe levam longe, e trazem consigo meus sentidos...

Cosmunicando disse...

feito asa de colibri, que nem a visão acompanha... poema pairando no ar em frente a uma flor =)

Átila Siqueira. disse...

Poesia é libertação, e espero que sua poesia sempre voe alto, que bata asas longe.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Moacy Cirne disse...

sensação
senso
sentimento
alucinação
dentro
do
poema

Maykson disse...

e leio e sinto e sempre as tuas palavras como um efeito borboleta... depois, quando suspenso por este jeito seu de transpor aos verbos os sentidos que são no mistério - no segredo mesmo que se esconde atrás de todas as formas e coisas e gestos e são palavrados -, e depois de suspender-me outra vez com outros atos e vibrações de ondas desconhecidas que circundam o caos do mundo, que é matéria, e depois de ser burlado pelo que adormece naquilo que chamam incosciente, eu escrevo, porque você, impelida pelas asas da poesia, também impele-me!

Luiz Coelho disse...

feliz imagem.

Casulo Temporário disse...

gosto muito de poemas como este e "Desiderato", Pavitra. Essa aflição da poesia, essa urgência além de nós, de que você também fala.
Muito lindo mesmo, faz vibrar essa corda da escrita tão fundo em nós...
beijo.

claire disse...

que lindo, pavitra!
imagem
construída
sincopada
em sintonia
com o que
se delira.

Rodrigo M. Freire disse...

explicou porque dói não parir poemas.

Beijos!

Carito disse...

O poema está sempre do nosso (a)lado...

omnia in uno disse...

poesia faz urgência
na boca-lápis da gente!

homoluddens disse...

:)

Fabio Rocha disse...

Comigo parecem cavalos correndo pelo peito... ;)

Belo poema. Beijos

Mme. S. disse...

Asas que também nos fazem voar... bjs, bom vir aqui.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Uma imagem simples e bela. Um poema construído com rigor, clareza e agudo senso de ritmo.
Muito bom.

Aroeira disse...

booommmm!

Postar um comentário