a pêlo



mimetizo nossa trama
de desejos e cantos
e danço sobre você
para restituir-me
ao vinho e ao toque
aos apelos da pele
das bocas e pernas
até alcançar em pêlo
o silêncio da queda



6 comentários:

Lídia Chaves disse...

Você é tão intensa em seus poemas... Noto neles uma lucidez dolorida. Gostei muito!
=)

Moacy Cirne disse...

E não nos esqueçamos do apelo da pele do poema... Beijos.

Fabio Rocha disse...

Adorei o fechamento deste: "silêncio da queda"

Mme. S. disse...

Não canso de repetir isso: diante do belo, às vezes é melhor calar.

Carito disse...

você deita e rola na trama
faz poesia pêlos
cânticos

J.F. de Souza disse...

gostei do apelo! =)

=*

Postar um comentário