o toque



você gira o dial
e muda a estação
mas sua voz rouca
ainda roça
minha nuca urbana
e seus verbos me acendem
intimamente


oscilo entre umidades
embriaguez e danças
onde você me toca
e é indelével



9 comentários:

Igor Machado disse...

que forte, pav!! que fidelidade, que entrega!

incrivel, parabéns!

VANYA disse...

um toque q nos leva as nuvens
lindo demais menina

Igor Machado disse...

Estou sempre presente!

Cosmunicando disse...

quando muda o dial, esse ruído de estática é coisa que me intriga. Mas só ontem descobri, há música nele também :-))

Amendoa disse...

suave

André disse...

Corpo pensante deixa derramar a doce conclusão que permite o sal nos aquecer e deixa o fluxo contínuo ao som de um batuque de cadência suave. Estado dentro dos olhos fechados ...

WordnavE disse...

Lindo!
Me surpreendi com o nome do blog e vim conhecer.
Visitarei sempre que puder.
Você já fez sua boa ação do dia!:)



PS:Perdoa-me o intrometimento.
Um abraço

Múcio L Góes disse...

delicia de metamorfrases...

adorei teu transflormar de coisas em versos!

vlw a visita no b7c. ;)

linko-te.

\o

WordnavE disse...

O nome que "me deu" lembra o meu nome de verdade... mas não vou lhe dizer qual é.
hahha

Obrigado por tudo o que foi dito.
:)
De verdade!

Postar um comentário