pálida



meus versos são vermelhos
e me chegam repentinos
aos olhos, às mãos, à boca


extenuam num instante
meus dilatados sentidos
e me absorvem inteira
ou despedaçada



19 comentários:

Cosmunicando disse...

um desfalecimento nos versos, repentinamente a perda do tino =)

adorei!
beijos

Hercília Fernandes disse...

Que bom que são vermelhos, Adriana. Pois colorem sentimentos [belos].

Beijo,

H.F.

Moacy Cirne disse...

Versos vermelhos e repentinos
que absorvem: a poesia
é um eterno mistério,
tanto para fazê-la inteira,
tanto para fazê-la despedaçada.
Mas asempre com o fulgor
ba beleza e da criação.

Beijos.

BAR DO BARDO disse...

já falaram: tino, destino, repentino...

o sangue dos versos está em trânsfuga à tua palida imago mortis.

ultra.

líria porto disse...

não é à toa que amo a palavra desmaio! os versos rubros levam-nos à exaustão!
besos

romério rômulo disse...

adrianna:
versos vermelhos e repentinos.muito
bom.
um abraço.
romério

Lídia Chaves disse...

A poesia que absorve de dentro para fora e de fora para dentro.
Lindo, como sempre.
=)

Maria Muadiê disse...

intensos versos!

Múcio L Góes disse...

o ver
melho

nos
faz

ver
melhor.

bjo.

nina rizzi disse...

incrível :)

Henrique disse...

absorver pedaços... bom

mil coisas

Nirton Venancio disse...

impossível a palidez com tanta poesia.

Carito disse...

despedALÇADA!!!

Lou disse...

Adoro a intensidade de seus versos, Dri!

Bjs

Elaine Siderlí disse...

Lindo Adrianna!
Seus versos são coloridos com seu talento e com sua capacidade de metamorfrasear!

bjus.


Elaine Siderlí.

Adrianna Coelho disse...


é isso, mê!

um desfalecimento nos versos :)

beijos

Adrianna Coelho disse...


e eu quero que sejam vermelhos sempre, hercília... :)

beijos

Adrianna Coelho disse...


ah, moa...

adorei o que vc escreveu!! :)

beijos

Casulo Temporário disse...

Adorei, Adrianna. Sempre tão intensa, você.
Parei nos duetos com Marcelo, e vejo que o amor é, sempre, lindo, em qualquer estação.
Estive dispersa mas volto devagarinho, matando a saudade.
grande beijo,
Ana

Postar um comentário