olé



Ângulos vermelhos



Ângulos vermelhos
destacam o solo
flamenco do
violão,


o timbre do
flamenco.


E a bailarina está de
costas, a espanhola
ouvindo os arpejos.


Lá fora, voam os

passarinhos, em

ângulo

reto.



Marcelo Novaes






gitana



meus passos não te serão

leves

nem meus saltos


nem mesmo quando levito,

ou ergo as mãos, danço e canto

sem acompanhamento


pelo ângulo certo, porém,

verás meu coração nos abetos,

os pássaros rasgarem azuis

e amanhecerem os meus beijos

vermelhos




Adrianna Coelho




20 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Dri,



Deste-me um lindo "olé!", fazendo-me correr como um touro brabo e desavisado até um vermelho incansável/inalcançável. Obrigado pela linda resposta que deu ao meu singelo poema!




:)



Beijos, e gratidão!







Marcelo.

BAR DO BARDO disse...

vou me repetir, mas acho de uma coragem fora do comum esses desafios propostos e bem realizados ao final. fico, pois, boquiaberto e mudo. bom, marcelo. bom, dri.

Moacy Cirne disse...

Marcelo disse-o bem: o seu poema é singelo. Já o de sua autoria - uma Gitana bastante carioca - pareceu-me mais paixão, mais vermelhocantorquídea, enquanto os pássaros rasgam azuis e auroras.

Um beijo pra você.
Um abraço pra Marcelo.

rua do mundo disse...

oii

quando puder passe no 404 tem selinho pra vc

http://404notfound-photos.blogspot.com/


bjs

romério rômulo disse...

adrianna:
você e o marcelo se complementam.
um grande abraço.
romério

Átila Siqueira. disse...

Muito belo ambos os poemas, gostei muito, parabéns para ti e para o Marcelo Novaes.

Depois passe no meu blog também.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Cosmunicando disse...

dri, esse dueto ficou bárbaro!
sou suspeita aqui porque minhas castanholas já se assanham =))

beijão aos dois

paulinho damascena disse...

Belissimo texto, ameiiiiiiiiiiii


parabéns!!!

espero sua visitinha tb

Maykson disse...

PASO DOBLE! Lindíssimo diálogo!

Nirton Venancio disse...

dois belos poemas encarnados...

VANYA disse...

um completando o outro, e vcs se encaixam de uma forma linda!
beijos nos dois

Simone Gois :) CotidiAmo disse...

Nossa Pav, ou Dri ou Drica!!! hahah
tá tudo lindo por aqui!! Gostei muito da sua foto do perfil, os novos poemas estão maravilhosos e "Adriana Coelho" ficou muito tudo!!!!
Olha eu ando atolada de obrigações mas de vez em quando vou tentar postar alguma coisa, mas de vez em sempre pretendo vir aqui me deliciar com os teus textos.
beijos !!!!

. disse...

Obrigado querida, let's keep in touch. seu blog é o que há tb!
saludos!!!!

LM,paris disse...

profundo desenrolar do novelo no labirinto do monstro...adriana é quase ariana...o càlice que nos espera serà o do verde veneno de julieta?
adorei o poema bem cosntruido e com as palavras todas a ecoaram-me nos ouvidos, e avoz era tua, sem a conhecer ainda.
adorei.
beijinhos, Paris està tao frio!!!
LM

Bosco Sobreira disse...

Belo dueto. O Belo aqui é celebrado.
"Cálice e patena" é uma pérola.
Bom te ler!

José Carlos Brandão disse...

a gitana é música
e dança no ar

é um pássaro no azul
como um beijo vermelho

Abraços.

Sabrina disse...

creces larga en la
espalda del toro
de la palma al pelo
todo es rojo

J. C. P. disse...

Olá, Adrianna, obrigado pela gentil mensagem. Gostei muito de seus poemas, que também vou seguir de muito perto a partir de agora... Beijos, Jean.

Luiz Coelho disse...

adorei gitana!

Paulo Henrique Motta disse...

estas foram minhas primeiras impressões de Sampa.
obrigado pela força.
a propósito, adorei esta.
bjs

Postar um comentário