para uma confissão

para Mercedes Lorenzo


que a palavra secreta se apresente,
aquela que me olha de longe
que me entende e me espreita,
por onde quer que eu ande...


aquela que sabe dos meus horários
e de tudo que coloco sob pedras,
debaixo do tapete, atrás das portas
e dos meus gestos corpóreos


aquela que encontra minhas identidades
guardadas a sete chaves na gaveta
cheia de poemas sibilinos


- a palavra-chave, testemunha,
aquela que me aponta, me acusa...


quando ela se declarar,
eu assino.



31 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Dri, querida,


A palavra que salta [do insuspeitado fundo, do fundo insuspeitado] merece a assinatura!


(E Mercedes merece a dedicatória!)


:)




Beijos,




Marcelo.

Simone Gois :) CotidiAmo disse...

Oi Adriana, cê é demais mesmo heim menina!!! brigada pelo toque. Olha fiz como me ensinou. ainda não tinha mexido com isso porque além da ignorância sobre o assunto,eu faço muita bagunça com minhas postagens. escrevo apago mudo oculto e por aí vai. é minha bagunça desorganizada mesmo! hahaha!!!
Ah! já que cê comentou meus amores, entra la em Historinhas, no menuzinho bem no início do blog, tem umas fotos lá das minhas garotas!!! são fofas demais, espia lá.
beijos

Adrianna Coelho disse...


marcelo,

a palavra que salta merecerá a assinatura
quando eu conseguir agarrá-la... rs

e a mercedes merecerá sempre o meu apreço, pela amigona que ela é.

beijos, meu amor.

Adrianna Coelho disse...


ah, simone, que legal!

vou lá sim ver os amores :)

beijão

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

A PALAVRA SECRETA EU SEI, TENHO CERTEZA, MAS SÓ QUE TEM UM PROBLEMA, NÃO É DIZÍVEL.
NÃO TEM REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO FONEMA, SEQUER TEM FONEMAS. NÃO SE FALA, NEM SE IMAGINA SUA MATERIALIDADE EM LETRAS. A PALAVRA SECRETA É NEGADA AOS MAUS, AOS QUE MATAM, ROUBAM, ESSAS COISAS TODAS.
POEMA BOM É ASSIM: PROPÕE O QUE NEM O POETA PODE RESOLVER.
ARRASOU.

Adrianna Coelho disse...


pois é, well

essa palavra é secreta mesmo até para mim... rsrsrs

um dia eu descubro, enquanto isso a gente vai escrevendo, né? :)

obrigada, querido!

p.s. miguxo e fófis! rsrs

Moacy Cirne disse...

adrianna e mercedes
mercedes e adrianna

são belas as assinaturas
não-secretas
são belas as palavras
assim ditas

beijos para as duas

Adrianna Coelho disse...


moa,

eu e a mê (eu nem perguntei mas sei que ela deixa eu dizer isso), vamos dar um beijo na sua bochecha, uma de cada lado, ok? rsrsr

nós adoramos vc!

Mirse disse...

Muito lindo, Adriana!
É verdade! Há sempre uma palavra à espreita, como se vigiando a hora exata de escapar. Mesmo sendo secreta aos outros, ela clama por exibir-se, como uma flor num jardim.

Adorei seu blog.
Passei aqui para não dar mais gafes (coisa que vez por outra me acomete). Com mais calma lerei seus poemas.

Um beijo

Mirze

Cosmunicando disse...

hahaha... enquanto procuro o que dizer aqui pra você, li o teu comentário para o Moa (claro que vamos! tá cercado ele, sem escapatória rsrs)

Dri, essa dedicatória me pegou de surpresa... já te disse que esse poema é daqueles que eu queria ter escrito, tamanha é minha identificação com ele. Mas o que não falei é que ele é mais que isso: é todo alinhavado na perfeição, construído com a tua coragem, por isso tão bonito =)

valeu amiga!
beijos

Adrianna Coelho disse...


Mirze

obrigada por sua visita aqui, e tbm digo que se não vou mais ao seu blog é por falta de tempo.

um dia pensei em convidá-la para um encontro de poetas aqui no rio, se vc quiser, ainda podemos marcar... :)

fique à vontade, pq eu gostei de tê-la aqui.

beijos

Adrianna Coelho disse...


oi, mê!!

que bom que vc gostou do poema.
fiz mesmo pro causa de muitas das nossas conversas... rs

quanto aos beijos nas bochechas do moa, vai depender muito de vc aparecer pelo rio, viu... rsrrs

obrigada por ser minha amiga!

beijos

Adriana disse...

não quero que a palavra que te espreita se apresente...assim nos dará mais poesia.

fred disse...

Muito bom, Adrianna.
A Mercedes merece a dedicatória.
Beijo-as

Adrianna Coelho disse...


essa tbm é uma boa saída, adriana... rs

beijos

Adrianna Coelho disse...


obrigada, fred!

beijos (ah, tbm vou dar pela mê) rsrsr

Lualves disse...

Pav,

assino em baixo tb.!!!!

Continuemos, sempre!

Bjo

Lualves

Fabio Rocha disse...

Belo poema, homenagem, tudo tudo... Clap clap procê tumém! ;)

Wilson Torres Nanini disse...

Esse poema me deu uma vontade de poetar, mas aqui não ousarei: aqui, o território é todo seu, onde vc é poetave e - com li nas entrelinhas de seu poema - voa frenética para tentar escapar dos muros que se evolam. É certo que as palavras fogem, ou delas fugimos, como pudéssemos de nós fugirmos. Mas ao final, há um espelho que reflete, na saída, o interior do labirinto em que nos metemos. Nesse seu caso, é de alta poesia, poetave de bico-boca autofágica e de asas desenraizada de alheias antigas ruínas.

Adorei seu poema, tô adorando seu blog. Foi bom ter-lhe descoberto.

Sabrina disse...

encontraram um esconderijo aquário aqui, são urgentes, vivem te denunciando

romério rômulo disse...

adrianna:
a lorenzo merece.
um abraço.
romério

Elaine Siderlí disse...

Olá Adrianna!

A palavra que salta pode ser aquele que foi jogada ao vento e que encontra uma ação a ser executada nas mãos de pessoas inesperadas que por outros são chamados poetas...e eu os chamo de leitores da alma (deles e da de alheios)são os que dão vozes aos que muitos tentam dizer apenas poetas conseguem fazer a melodia transcorrer em versos e o sentimento ser explicitado em uma única frase, seja metamorfraseando ou em o lugar que importa.

Bjus!

Elaine Siderlí.

VANYA disse...

Um lindo poema, para uma pessoa tão especial como a Mercedes.
Adoro essas duas meninas lindas!
Bjimm cheios de carinho, cherinho e sdds

Maricotinha disse...

Olá, Adriana!

Tem um convite para ti no meu blog :)
Passa lá!

Lindo verso!


Bjs,

Maricota

Insensato disse...

Belo poema, como sempre. Denso, um discurso poetico bem feito. Requinte e fino trato.

Bosco Sobreira disse...

O Belo se faz presente em tuas palavras, as secretas e as ditas, como aqui.
Um beijo, Poeta.

laerth motta disse...

o que mais secretas de tão bom quanto...
fico esperando
beijos

Ígor Andrade disse...

Que dupla!
Que poema, Adrianna!
Abraço, de sempre!

Ston disse...

Bão demais!

BAR DO BARDO disse...

prova pública de cumplicidade.

que paradoxo!
que coragem!

parabéns!

Lou disse...

Com ou sem palavra secreta, você sempre nos brinda com versos maravilhosos!

Abraços,
Lou

Postar um comentário