***** de língua: lambendo a poesia de mercedes lorenzo



Shlept



a língua bifurcada da serpente
prova dois gostos?
o que acontece
se eu lamber teu gesto?
gosto do susto
de pensar palavras salivas
incisivas in.surgentes
carnívoras
isso vai me inflorescendo
o resto



Mercedes Lorenzo





minha voz cariocando a shlept da mê:


* Publicado no Balaio Porreta 1986 nº 2564

24 comentários:

J.F. de Souza disse...

Caramba!!! Muié!!! Nem sei o que dizer... Mas tá PERFEITO esse escrito da Mê!!! LINDO MESMO!!! =)

=*

Moacy Cirne disse...

Maravilha, menina, Maravilha: o poema da Mercedes e a tua voa. Amei. De verdade. Verdadeverdadeira. As duas estão de parabéns,

Beijos.

Moacy Cirne disse...

"Tua voa"? O que voa em tua voz? O poema da Mercedes? O vôo que voa em teu blogue? O que voa, voando, sem voar?

BAR DO BARDO disse...

que voz... o resto acompanha???

adrianna coelho disse...


isso é pergunta que se faça, pimenta?! rsrsrs

Adriana disse...

palavras carnívoras matam a fome da poesia...que delícia de poema ;P

Vanessa disse...

Invejo muito os poetas :-)

Cosmunicando disse...

mulé, eu simplesmente adoro essa tua leitura!!
já não consigo mais me ouvir nesse poema, ele virou você =))
valeu dri,
beijão

Hercília Fernandes disse...

Bela a expressão e a intersubjetiva poética poética da Lorenzo.

Excelente escolha, Adriana.

Beijos,

H.F.

Moacy Cirne disse...

Surpresa no Balaio! (Não, não se trata d'O Livro dos Livros.)

Um beijo.

Lou disse...

Belíssimos - poema e voz!

Bjs

Nirton Venancio disse...

Gostei do susto de ouvir sua voz noutras palavras...

Cris Caetano disse...

Muito bom!!! Sabe que me deu uma lembrança da Semana de Arte Moderna??? :)

Esse chiado carioquês ficou perfeito!

Beijinhos

romério rômulo disse...

adrianna:
gostei da lorenzo.
romério

Fabio Rocha disse...

Prazer te ouvir! Beijos

nina rizzi disse...

lindíssimo. bem como a tua língua. a que inspirou-geriu e esta que ri e que fala e que lambe. demais :)

Marcelo Novaes disse...

Dri,

Ouvi esse poema nios finais de dezembro. Com voz. MP3. Estava escolhendo os poemas da Mê, para com eles dialogar. Maravilha! Acabei dialogando com as três, e com muito mais gente!



O poema é ótimo.


O que vc faz com tua língua... no poema... também é bom.

:)





Beijos,




Marcelo.

Henrique disse...

Perfeito

um dia eu te imito

babando fogo gritante e desmanhando seco em brasas

Flávia Muniz disse...

lamber teu gesto...bom isso!

Rubens da Cunha disse...

obrigado pela visita ao Casa de Paragens. Adoraria ter poema meu "cariocado" por tua voz.
abraços

Adrianna Coelho disse...


moa, demorei tanto a responder,
mas é sempre bom cair nesse balaio, viu?

muitos beijos, meu e da mê

Adrianna Coelho disse...


rsrsrsrsr

esta que ri e que fala e que lambe...
ou
estas que riem e que falam e que lambem: eu e vc! :)

beijos, nina

Adrianna Coelho disse...


marcelo,

e é tão bom falarmos a mesma língua, né?

:)

beijos de língua! rsrs

líria porto disse...

ah... esta dupla!!
besos

Postar um comentário