tantras & ostras



às vezes tenho os sonhos
mais elementares
desses que envolvem
serpentes e ruas vazias
onde você sempre aparece
do nada no meio
de uma multidão invisível
e o chão desaparece
e eu voo
e toco o seu rosto
e você sorri
e gozamos juntos
todas as horas
dos nossos dias


outras vezes tenho os sonhos
mais elementares
desses que envolvem
mar e noites escuras
e acordo sozinha
fechada em mim






* Publicado no blog Nuvens sobre o Atlântico, de Cris Caetano

35 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Dri,


Sonhos bem extremos e "elementares" postos no poema. "Um gozar junto todas as horas de todos os dias" ( esse só pode ser o gozo feminino,se estiver apoiado no físico; ou além do físico, supra-físico...). Por outro lado, a concha escuta de mar e noite. É tantra e ostra, mesmo. A visão do tantra é um tanto idílica. A outra ostra é mais factível, e se vê muito por aí.




Beijos,








Marcelo.

Luiz Coelho disse...

elementares ou alquímicos?

Moacy Cirne disse...

Ei-la por inteiro:
sonhos & sonhos,
em todas as horas dos dias,
apesar das serpentes,
apesar das ruas vazias -
os desertos das noites escuros,
mas também o espaço de sonhos.
E sonhos.
Acordando - ou não - sozinha.

Beijos.

Adrianna Coelho disse...


Marcelo, a da ostra é mais factível... De fato, só por enquanto, né?

Adrianna Coelho disse...


posso responder "ambos", Luiz?
pelo menos queria que fosse.

obrigada pela visita. :)

Adrianna Coelho disse...


é, moa, sonhar é preciso
e acordar (mesmo que sozinha) tbm... :)

beijos!

Cris Caetano disse...

Adoro os sonhos onde posso me encontrar com o outro, passo dias em felicidade plena, sonhando.

Beijinhos

Adrianna Coelho disse...


Cris, se tem uma coisa que adoro é sonhar (sonho mesmo, até pesadelo) - acordada tbm.

beijos

leonorcordeiro disse...

Querida Adrianna,

Acabei de escolher o seu blog para receber o selinho “Vale a pena acompanhar este blog!”. Escolhi 15 blogs que distribuem poesia pela blogosfera.
O meu desejo é que os meus visitantes comecem a acompanhar o seu blog para serem presenteados diariamente com os seus versos.

Grande abraço!
Com carinho,

Leonor Cordeiro
http://leonorcordeiro.blogspot.com

nina rizzi disse...

somonos assim
: dialógicos.

belíssimo, desaparecida. belíssimo :)

beijo.

adelaide amorim disse...

Belo poema, Adriana, muito mesmo.

Beijo.

Mirse disse...

Oi Dri!

Nem acreditei quando vi marcado nova postagem em seu blog!

Você não pode, nem sonhando, deixar seus leitores que admiram sua bela arte poética, adormecidos e sonhando!

Estes sonhos estão maravilhosos!
Os dois contèm a sua marca enigmática!

AMEI vê-la e lê-la!

Beijos

Mirse

soantes disse...

Ia saltitando de blog em blog, entre abelha e borboleta pela globoestrada incerta, quando vi um coelho e parei. Gostei de estar aqui. É assim como sentar à sombra, abrir o cantil e beber apenas o líquido necessário.

Paulo Henrique Motta disse...

às vezes eu sonho que estou voando
ou simplesmente estou
no chão [nu, sempre nu
em algum canto]

por isso me vi em cada palavra...

bjs do Paulinho

Adrianna Coelho disse...


Leonor,

agradeço mais uma vez pela escolha do meu blog .

muito obrigada. :)

beijos

Adrianna Coelho disse...


nina,

estou aparecendo, aos poucos... rs

obrigada pela visita, me[nina].
vou ler vc logo, tá?

beijos

Adrianna Coelho disse...


obrigada, adelaide :)

beijo

Adrianna Coelho disse...


acredite, mirse, por favor...
e, nem em sonho, deixarei de escrever, mas quando vêm os pesadelos, a coisa complica... rs

obrigada por sua presença

beijo

laerth motta disse...

fatos elementares
oníricos ou fatidicos
em teu poema, vc faz voar

-Assim como a Nirse, fico te esperando...
beijo grande

Vanessa disse...

Adrianna, topas uma entrevista lá no Fio?

Caso afirmativo envie seu email para fiodeariadne.blog@gmail.com

obrigada!

Renata de Aragão Lopes disse...

Adrianna,

que capacidade a sua de encontrar bons títulos!
Tantras e ostras
para as específicas estrofes.

Excelente!

Bea - Compulsão Diária disse...

Pesadelo escurece e fecha tudo. depois, faz sol, sai verso. Assim mesmo Adrianna. afiada como sempre.

Bea - Compulsão Diária disse...

Gostei da casa nova. Tá linda essa cor ocre nas paredes. Esquentou!;))

Guru Martins disse...

...tantras
e ostras
na kama(sua)...
muito bom!!!

bj

Úrsula Avner disse...

Bonito poema Adianna, gostei muito ! Bjs.

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Sonhos e seus mistérios...palavras e seus mistérios.

Civone Medeiros disse...

Nossa, Adriana!

PérolAdriana! Você, tuas palavras e metamorfoses me tiram o ar, o chão, o mar e me devolvem num torpor imenso com a verve do que tu escreve... Pérolas ao mar de palavras sem fim, que vem de ti! Bela, bela, bela! A-D-O-R-O!

Beijins...

Olhos de Folha Minha disse...

Sonhos são a razão do acordar e viver...Sonhos revelam os próximos dias e chegadas...Muito bom Adrianna

bj

Cintia Thome

Múcio L Góes disse...

adri, querida... =]

o sonho é o passeio da alma, mas o despertar deles sempre nos assusta. já os meus ardem de saudades qd acordo.

=]

-*

Lou disse...

Dri, uma belezura!

Bjs

Aline Christal disse...

...imagino todos estes elementos "kamasutrando"...rs...em meus gozos.


...linda poesia!

Adriana disse...

Adri,
O título é um sonho...tiraste da manga...adorei.

fred disse...

Belíssimo sonho, ou melhor: belíssimo poema.
Beijos

Elza Fraga disse...

Oi, querida
Deixei um mimo em forma de selinho pra você no TEMPO IN-VERSO.
Não tenho o seu email, por isso ele está indo por aqui.
Bitokitas, sucesso e luz.

Ígor Andrade disse...

Que lindo!

Postar um comentário