erva-de-passarinho



brotavam umas idéias estranhas
algumas de um inconcebível nunca
e muitas de um impermanente sempre

mas as flores e as árvores
ainda eram a maioria

e todas essas idéias floridas
aromáticas e eternas
ele plantava na cabeça
- na minha!

arrancá-las doeu à beça...



9 comentários:

Lucia Ines disse...

Amei!
Pav, é isto aí, alguns sentimentos nascem, mas as vezes, é preciso arrancá-los para dar espaço a outros.

Beijo grande e vou roubar agora, pois acabei de postar muitas flores e o colocarei lá, viu?
Bjs e obrigada.

Madalena Martins disse...

Oi Pav!

Delicioso
Fico muda

Mas...
contigo estou aprender
apetece-me isto dizer

... mais...
agora não posso!
Não saberia...
Beijos

Francisco disse...

As pessoas que sabem de flores: e de árovores; e de ervas, dizem que há um tempo de monda. Também as que sabem de terra falam de um tempo de descanso; de apanha; de cultivo.
Então são esses tempos que precisamos, ciclicamente, de viver.
O problema, aqui, é que gostei à brava, da forma como a Pav o diz.
Bjs

adriana monteiro de barros disse...

Muito Prazer poeta! Nossa POESIA nos uniu, os pensamenros e sentimentos são osmáticos!
bjs

Cris Matthiesen disse...

Existem fases certas para tudo. Só o ser humano insiste em não seguir este rítimo quase cardíaco, que nos leva a cometer erros...mas se não fosse assim, jamais aprenderíamos que existe este relógio para tudo....mesmo que imaginário!
Lindo!
Beijos ;-))))

Frederico Melacocci disse...

também fui feliz.
Ontem gostei outro comentário.
Hoje gosto esse, ó:
"e todas essas idéias floridas
aromáticas e eternas
ele plantava na cabeça
- na minha!

arrancá-las doeu à beça..."

este verso final, destacado, é o inusitado. tão bacana.
E tem tantas possibilidades no tronco todo.
Falei para a pav no MSN de meus prazeres nesta poesia.
Nem tô mais aqui.. olha se tô!
Ah... tchau!


- Marechal Carleto - disse...

As chuvas
banhavam
as várzeas
num derramamento contínuo

também não respeitavam as ameaças que eu lhes dirigia

Bufo disse...

Que pessoa mais em coração!!

Arrancar assim algo que brota tão bonito.

.....
Adorei,
Bjos

Moacy Cirne disse...

O "inconcebível nunca" é mais do que um achado semântico, minha cara, é algo substancioso-ontológico (se me permite...) que vai além das "idéias floridas". Será que vale a pena arrancá-las? Um beijo.

Postar um comentário