risco



    arrisca em mim
    o que quebre
    o que grite

    o que desaninhe
    meu tigre e meu
        riso

    arranca o fôlego
        a raiz
            o juízo

    e deixa que o resto
        se precipite
   


6 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adrianna,

A aliteração do R foi proposital, ou intuitiva?

Adrianna Coelho disse...

oi, marcos.

nos poemas sou quase sempre intuitiva e neste também fui.

obrigada pelo olhar atento.

betina moraes disse...

belo, adrianna, como sempre!

outro dia mesmo disse que você é a melhor poeta feminina da internet. é a que mais me diz e a que mais me faz gostar de versos femininos.

um beijo.

Adrianna Coelho disse...

caramba! nem consigo comentar tamanho elogio, viu.
mas fico feliz que vc goste.

p.s. eu gosto de vc e estou com saudade!

bjs

Aroeira disse...

nossa! acho também que vc é a mais densa de todas que eu já li por aqui. vc encabeça a minha lista.

bjão

p.s. o quié haikhan?

Adrianna Coelho disse...


ô elogio dando de bom, uai.

beijão, aroeira!

Postar um comentário