ocaso



ainda ouço
tuas conversas com
sombras e brumas

teus restos
de noites e teus dons
para abismos
em minhas comoções
 telúricas

teus silêncios ancorando
meus vazios e a
tua falta

ainda te espero
naquele cais que nos invade
a alma


11 comentários:

Nina Rizzi disse...

Adrianna, quanto tempo, quero falar com vc, me escreva, por favor: ninarizzi@gmail.com

Um beijo!

Eliana Mora [El] disse...

Cara Adrianna

Espero que sempre tenhas o ouvido 'para as brumas' e a natureza gentil e boa [essa que já possuis]... e que tua poesia seja isso: como tu.


beijos e abraços
Eliana Mora

Adrianna Coelho disse...


eliana,

também quero ter ouvido
para os ventos e
para os reencontros.

bom ter você por aqui!

beijos!

Julia disse...

caraca véi! rsrs
que lindo...

Adrianna Coelho disse...


obrigada, ju... rsrs

Ana Cecília disse...

Saudades da poesia! da tua, da minha... Manter os blogs vivos, precisamos.

Que bom ainda poder ouvir
teu poema.

Tania Anjos disse...

Tão lindo, Adrianna...


Abraço carinhoso.

Taninha

Adrianna Coelho disse...


Ana, também estava com saudade da poesia - também da sua.

ainda bem que estamos de volta...

um dia reli uns poemas seus e lembrei como foi que nos encontramos aqui nesses universos virtuais...

e é tão bom saber que você me ouve!

Adrianna Coelho disse...


obrigada, Taninha!

abraços!!

BAR DO BARDO disse...

sem pauta
comme il faut
como falta

Adrianna Coelho disse...


sem pauta nem nada...

bjs, henrique

Postar um comentário