falando de lírios e de mim



eu queria inventar outras palavras
outras flores outras selvas outras árvores
e subir nos seus pés
e preparar ninhos e leitos
no mistério impenetrável e verde
das folhas impregnadas de sol...


queria inventar outras espécies
de algas e de corais e outros mares
cheios de perigos e coloridos abissais
e coisas de afundar mesmo a cabeça e nadar
e beijar a pele com gosto de sal e de líquen
nos nossos corpos úmidos graves e líricos...


queria chegar até você com sonhos
e com histórias
com cantigas de roda
bobagens e cílios
cheia de manha e de manhãs
e papoulas e desalinhos
cheia de mim e de lírios...


queria chegar até você
reinventada em outros trens.



14 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Dri,


Viagem em ferrovia bem pavimentada!



:)




Beijos,






Marcelo.

Úrsula Avner disse...

Belo Adriana,seu versejar é encantador.Suas poesias suscitam reflexão além da beleza poética. Amo visitar seu espaço. Um abraço com carinho.

Moacy Cirne disse...

Adrianna
Adrianna

Você já inventa
as palavras
necessárias
para os seus mares
para os seus sonhos
para as suas histórias

Você já se inventa
através da poesia


Um
beij
o

José Carlos Brandão disse...

Eita trem bão!

Beijo.

nina rizzi disse...

parece que chegou.
o amor, tanto, nunca me chega (no sentido de bastar).

beijo :)

Mateus Araujo disse...

Pois conseguiu!
És agora o mais belo lírio em forma de poesia!
lindo!
Beijoo♥

Nathi disse...

Olá, acho que já te visitei algum dia no meu passado.

Resolvi visitar este cantinho hoje por puro acaso e acabei me deparando com um mundo totalmente novo.
Sua poesia sucita vida!

Beijinhos* Nathi

BAR DO BARDO disse...

Não quero ser repetitivo, mas excelente arroubo lírico!

Sua lâmina de veludo, Dri Lupina, continua desafiando...

Felicidades...

Múcio L Góes disse...

trans
flor
mar:

coisa
de quem
anna
assim
como faz
adri
ama

=*
=]
\o

Mirse disse...

Oi Adriana!

Parece que pensamos ou temos transmissões de pensamentos. Digo pelos meus últimos poemas.

Linda menina. Não invente, ouse.

Você já é a própria poesia cheia de mares e chegares.

Sou sua aprendiz.

Lindo poema!

Beijos

Mirse

Peggy disse...

...
renascer!
belo!!!

guru martins disse...

...nesse trem
com certeza
voce chega...

bj

Rodrigo M. Freire disse...

Adriana,

Poesia é fantástica.

De belas imagens em que nos perdemos quase a construí-las, mas bem nos perdemos, onde qualquer um gostaria de se achar perdido.

Lualves disse...

Lindo, moça...

Lindo.

Onde andas??

Lualves

Postar um comentário