simples assim



eu queria uma palavra
apenas uma


e meus olhos te mostrariam
dois sóis


[um em cada pupila]


por trás do inevitável arco-íris
eu te daria um sorriso


só isso
e já me clareava o dia





* Publicado no Balaio Porreta 1986 nº 2529

15 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Amei, as vezes basta um sorrisinho para alegrar o dia :)

beijos

nydia bonetti disse...

um só isso é tudo, não é? :)
vou lá te ler no marcelo, bjo!

Mirze Souza disse...

Adriana!


É pleonasmo dizer o quanto a admiro e aos seus poemas.

Este em particular me surpreendeu, pela beleza e sonoridade.

Belíssimo!

Um beijo amiga!

Mirze

Paulo Henrique Motta disse...

mais claro do que isso impossível!! rs

um primor!!

bjs do Paulinho Motta

betina moraes disse...

lúdica e pura (poesia), como deve ser a vida vista da melhor forma possível.

que bela entrevista, querida!


um beijo, com carinho.

Juliana M. Mesquita disse...

Parece que o Marcelo encerrou o Bloco de Notas com chave de ouro mesmo. Muito bom te conhecer por lá e agora por aqui! :)
Até breve!

José Carlos Brandão disse...

Simples assim? A poesia é mágica, v. é mágica. Parabéns.

Dilean de Bragança disse...

Simplesmente isso...é só...e basta!
Lindo, lindo!!!

Adorando seu espaço, cheio de sensibilidade em rimas ricas de poemas e amor.

Vou seguir-te.

Até!!

Gustavo Brito disse...

- ah, e como seria um belo dia...

ps: realmente, não basta se perguntar, mas a compreensão da questão já é o estopim para o atrevimento.
obrigado pela sua visita, adrianna.

Rolando disse...

olá. muito legal. Abraços.

Nathi disse...

Luz!

LETRAS-UNICID-2010 disse...

Muito bom. Rápido e certeiro!

J.R. Lima disse...

Bom te ler/ver de novo!!
beijo!

Felicidade Clandestina disse...

pequenos gestos. simples e amáveis.

Felicidade Clandestina disse...

simples e bonito.

Postar um comentário