renascença



sob a chuva meus olhos
revelam a luz nas cores
das horas lúcidas

reflexos de deuses estrondosos
em minhas memórias

livres de marquises
meus pés dissipam o asfalto
e a nostalgia ressurge
ríspida e imprevista
em incessantes fluxos
na paisagem úmida

improvisada

a vida vaza nas esquinas
de um cruzamento abstrato
constantemente renovado
pelas águas que correm
junto ao meio fio da lâmina
das minhas palavras
e de nossos atos

e nesse ar concreto
onde me encontro
tudo sufoca
tudo é ralo

há dramas contidos no meu corpo
derramado e exposto
na calçada




Publicado no Balaio Porreta 1986 nº 2802.

14 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Dri,



Quão mais estrondosos
[os deuses], melhor que
se dissipem.


[E mais urgente].






Beijos,








Marcelo.

Adriana Karnal disse...

tem um "quê' de ânsia, de angústia no poema...tua lâmina,tuas esquinas, tuas palavras cortadas...lindo demais!

Mirse Maria disse...

Maravilhoso, Dri!

"A vida vaza nas esquinas". Que bom deve ser a expulsão de deuses da memória!

Será?

Como sempre lindo!

Beijos

Mirse

Ianê Mello disse...

Adrianna,

Há que libertar-se dos fantasmas que nos afligem, tenham qual forma tiverem.
Lindo poema! Bjs.

Ianê

BAR DO BARDO disse...

deambulou ao fim... e a poesia permaneceu...

Rafael disse...

Bonito poema, Adrianna!
Fazia algum tempo que não passava por aqui, né?
bjs

Fabio Rocha disse...

Fase de dor, né? Espero que melhore. Mesmo que os poemas piorem... ;)

Paulo Henrique Motta disse...

sempre impecável!!

José Carlos Brandão disse...

Gostei, Adriana.
Riqueza de imagens, sensações, vida vivida.

Beijo.

Moacy Cirne disse...

Renascença balaiográfica.
Hoje.

Um beijo.

betina moraes disse...

adriana, querida!

que belo poema, quantas imagens e sugestões sensíveis aos sentidos... adoro poder "ver" o poema, adoro!


um beijo e um abraço apertado!

Cris Caetano disse...

É incrível como um breve momento nos dá a clareza de vários outros que parecíamos ter esquecido.

Adorei. Beijinhos

Lídia disse...

Adriana, quero ser igual a ti "quando eu crescer". =D

Teu blog é lindo.

Abraços,
Lídia.

Lídia disse...

Adriana, quero ser igual a ti "quando eu crescer". =D

Teu blog é lindo.

Abraços,
Lídia.

Postar um comentário