fugidio



no meu percurso
também há a delicadeza
 de nuvens ilegíveis

 e onde meu desejo
se investiga

há lonjuras
          mãos
desvãos
           rubis

e o ar escasso
entre o não e um profundo
   sim


5 comentários:

betina moraes disse...

belíssimo! roubei! :)

Adrianna Coelho disse...

roube! roube mais!
qualquer roubo aqui
me causa
arroubos... rsrsrs

bjs

Tania Anjos disse...

Que poema lindo, Dri!!

Bjs!

Adrianna Coelho disse...

obrigada, Tania!

beijos

Leandro Luz disse...

Exato!

Postar um comentário